quinta-feira, 26 de novembro de 2009

I'M HAPPY


oi.

Hoje vou falar de mim.


Falar que estou muito satisfeito da vida, pra ser mais objetivo...estou FELIZ.

Falar que estou ouvindo Jason Mras, em especial a musica "If it kills me". Falar que não tenho lido muito, e que estou dormindo pouco.

Falar também que estou aproveitando ao máximo os últimos dias de aula, estou sugando cada sorriso, armazenando cada frase, respirando cada momento. Pois somente assim eu suportarei a saudade.

Se você leu meus últimos post's sabe que á cerca de um mês eu recebi uma proposta de emprego para trabalhar no Mcdonald's, que para o meu bem acabou não dando em nada. A poucos dias eu consegui um novo emprego, muito melhor que o mc, mais perto de casa, menos cansativo e melhor remunerado.

Agradeço ao senhor Deus da minha vida. Finalmente consegui meu primeiro registro em carteira, confesso que este era um dos meus grandes sonhos.
Agora eu trabalho em uma loja, o serviço me faz feliz e eu me sinto útil.
Nos últimos dias eu tenho me sentido de uma forma tão estranha. Beneficamente estranha.

Parece que a felicidade finalmente veio pra ficar. Ela se instalou na minha vida de uma forma que eu não acredito.

Eu me recordo dos tempos de dor, dos tempos de desespero e da falta de esperança, lembro perfeitamente como eles me dominavam, me prendiam. A felicidade faz exatamente igual, só que o efeito é contrário, ao invés da dor, eu sinto alívio, sinto PAZ.
Minha lista de sonhos tem uma frase riscada, e a que vem logo abaixo mal pode esperar para que o mesmo aconteça com ela.

Estou quase terminando meu post, quero deixar uma dica, ou melhor, uma indicação.

Olhem para o céu, e vejam o quão magnifico é o flutuar das nuvens.

Fechem os olhos, e sintam o quão macio é o tocar do vento sobre sua pele.

Vejam o sol nascer amanhã.



Boa noite.

sábado, 21 de novembro de 2009

Bad Day

Tudo começou quando eu acordei por volta das 10:00 hrs. Fiquei de folga hoje, fez um sol escaldante pela manhã. Por volta do 12:00 eu tomei banho e me vesti. Marquei com alguns amigos, entre eles a Ester, de ir no cinema ver 2012. É bom lembrar que durante toda a semana fez um puta sol, daqueles que nos faz assar feito churrasco.

Quando eu coloco o pé pra fora de casa começa a pingar, o pessoal vai chegando aos poucos, e quando a chuva começa a aumentar nos saímos, de guarda chuva e fomos para o ponto de ônibus. Ou melhor, queríamos ir, a chuva não deixou! Parávamos a cada cinco minutos para nos proteger da chuva, molhamos sapato, roupa, o corpo inteiro, porem, não desistimos, com chuva ou sem chuva nos íamos para o cinema.

Depois de muita chuva finalmente pegamos o ônibus. Começa então a segunda parte do adorável dia.


Pegamos O trânsito, com T maiúsculo. Resultado, fomos andando da metade do caminho (a chuva deu uma trégua). Chegando no cine vocês não vão acreditar... NÃO TINHA ENERGIA. Por sorte ( sim, ainda havia um pouco de sorte mesmo em meio a tanto azar) o cinema tinha gerador. 2012 só após as 08:00 hrs. Decidimos ver LUA NOVA. Porra, eu tinha jurado que não ia assistir esse filme na estreia, jurei pra mim mesmo que só iria depois que todas aquelas garotas fúteis tivessem assistido. Porem lá estava eu, em uma sessão de estreia da futilidade do ano.

O azar rolou solto na sala de projeção. Segue abaixo uma pequena lista.


Sem ar condicionado.

O lugar parecia uma sauna.

Um palhaço idiota tentando animar o povo.

Um tiozinho querendo se aparecer.

Um projetor que pegou fogo.

Um filme que não chegava.

Um filme de cinema que tinha mais pausas doque sessão da tarde.

É amigos, eu passei por tudo isso, e o pior, de all star molhado. O projetor estava bichado, parava a cada meia hora. O povo gritava, o suor me fazia derreter, mas eu só sai de lá quando acabou...uhuuu, eu superei.



Se me permitem, eu quero deixar algumas considerações enquanto ao filme.

LUA NOVA
por Arlan Souza.

Um bom filme, principalmente se você é uma garota de 17 anos e adora gritar.
Eu diria que foi um bom filme, lembrando que para mim, BOM, significa cinco, traduzido em números.
O filme superou e muito o primeiro (crepúsculo) os efeitos especiais estavam plausíveis, porem nada de novo. A atuação Kristen Stewart continua morta e sem sal. Robert Pattinson segue no mesmo caminho, mas ele ainda consegue oscilar entre o bom e o mais ou menos.
Taylor Lautner foi o que chamo de "o melhorzinho".
Em um contexto geral o que faltou em Lua Nova foi uma melhor atuação por parte do elenco principal, o filme segue o contesto geral do livro e transmiti a ideia principal. Por fim eu lhes digo.
Não se deixem levar pelos números, pelas bilheterias. Não é de hoje que uma grande obra é contada por qualidade, e não por quantidade.



(IMAGEM BY GOOGLE)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A guriazinha - Parte 3

Por que estas triste menininha? - perguntou o nobre o anjo - Por que choras?
A menininha nada respondeu, não queria falar, queria apenas dormir, dormir para sempre. Mas o anjo foi persistente, e perguntou outra vez.


- Menininha, me diz por que você não olha mais para as estrelas? Por que você não vai mais ver o sol pela manhã? - novamente o anjo não obteve resposta, mais ainda assim ele continuou a falar.


- Sabe menininha, eu costumava te acompanhar até a padaria, eu te esperava todos os dias sob as árvores no jardim da escola. Porem, você parou de ir até lá, e agora eu também me sinto infeliz, me sinto desamparado. Sua dor é a minha dor também.


A menininha parou de chorar.


- Venha menininha. - o anjo lhe estendeu a mão -, Quero lhe mostrar suas opções.

Ela apertou forte a mão do anjo, e desse modo, ambos foram sucumbidos pelo vácuo.



O lugar onde se encontravam agora era frio e deserto. Estavam no alto de um gigantesco penhasco cercado pelo maior dos oceanos, e envolvido pelo mais escuro dos céus.


- Veja só menininha, estamos no meio do nada. Aqui seu choro não pode ser ouvido; aqui existe somente a escuridão. É exatamente assim menininha que encontra-se sua vida. É desse modo que você tem passado. No escuro!

O anjo apontou para para o fim do penhasco onde se avistava um abismo e prosseguiu.


- Você tem duas escolhas menininha.



continua...



(imagem by Google)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A perigosa sensação de ser ETERNO


As vezes eu penso que sou eterno, que viverei pra sempre. Ou melhor, sei que vou morrer, mas é como se isso fosse algo pífio. Porem não é.

Já parou para pensar se de uma hora pra outra você morre? Seja indo pra escola, ou quando for comprar pão na padaria? Caso isso aconteça você partirá em paz? Com a certeza de que fez exatamente tudo que quis e tudo que precisava fazer, dizer, ver e realizar?

Claro que não! Talvez não haja ninguém nesse mundinho que caso morresse agora, morreria satisfeito. Talvez os que amam e são correspondidos, talvez os bem resolvidos com Deus. Mas creio ser esse um número misero de pessoas.

Eu tenho tanta coisa pra fazer, para ver e sentir. Mas quase sempre eu tenho a estranha sensação de que viverei para sempre. E sendo assim não devo ter presa, mas logo em seguida vem aquela cobrança interior.

- Seu idiota, faça hoje, faça agora! Porque amanhã você simplesmente puff. Morre.

Bom, desse sentimento eu posso extrair aquele velho aprendizado.

Procure fazer tudo que quiser, ou tudo que conseguir. Diga o que acha necessário, mesmo que não seja o melhor. Pule, cante inglês de vez em quando. Viaje, beije, leia todos os livros que tem vontade, realize-se, busque seus sonhos com a mesma necessidade que busca o ar.



Arlan de Souza.

domingo, 15 de novembro de 2009

A guriazinha - Parte 2

No jardim da escola local uma garotinha não foi sentar-se sob as árvores. Na varanda de uma casa qualquer faltava alguém, uma menininha que costumava contemplar o céu, sentir o vento e sonhar junto as estrelas.

Passaram-se vários dias e o cinza do mundo teimava em permanecer. Durante todo esse tempo o coração de uma jovem pereceu, e sua alma dormiu.

Não havia motivo -, pelo menos nenhum que pode-se ser visto ou tocado. É que as dores que realmente sangram, que realmente doem, jamais poderão ser vistas a olho nu, essas dores só podem ser sentidas.

A garotinha não sabia explicar, ela não encontrava palavras. Nada no mundo poderia medir ou traduzir sua dor. Ela simplesmente parou de viver, seu corpo respirava, seus lábios ainda sorriam, não por alegria, era simplesmente por obrigação. Afinal, quem sofre não quer compartilhar, ou talvez não consiga. Não ache justo.
A dor da menininha lhe veio quando as verdades do mundo bateram em sua porta, chegou exatamente no dia em que ela se viu crescer. Naquele momento sua alma sentiu que nada mais seria igual, tudo estava mudando, porem nunca disseram a menininha que tudo muda, nunca a disseram que pessoas vem e vão. É que a vida é feita de ciclos, de etapas, e a menininha acabara de concluir mais uma delas.


Após muitas semanas de um cinza sufocante o sol novamente apareceu iluminando todo o mundo. Iluminou os jardins, as varandas, mas não iluminou o coração da menininha.


Agora ela estava doente, não saia da cama, não ia mais á escola nem ao menos sorria. Nem mesmo por obrigação.
A menininha não acreditava mais em anjos. Mas eles continuavam a existir! E certa manhã, um deles foi visita-la.


Continua...

desenho: Arlan de Souza.

A guriazinha.

Ester é uma grande amiga, talvez a melhor que tenho. Ultimamente eu e ela temos sofrido de MDF, uma doença muito comum, que pode até matar caso não seja tratada com o devido cuidado. Seus sintomas são lágrimas repentinas, medo, desespero, falta de coragem, e um completo vazio interior; uma lacuna enorme na vida. Estou falando do Medo do Futuro.
Na mesma noite em que a Ester teve sua CRISE de MDF, me veio a inspiração para a singela histórinha que escrevo a seguir.


Seu nome é Ana, uma garota comum. Olhos castanhos e cabelos negros que pendem até abaixo do pescoço

Ana costumava sentar-se sob as árvores do jardim de sua escola. E pela manhã ela gostava de ir até a padaria da esquina por dois motivos: primeiro para sentir o nascer do dia, o cheiro da manhã e a calmaria do mundo que começava a acordar. E segundo, para comprar pão fresquinho.

Na casa de Ana á um quarto só para ela. Em noites mornas de céu estrelado a garota deitava-se no chão da varanda para refrescar-se com a brisa e deixar que a imaginação flui-se junto ao brilho das estrelas.

Em uma manhã como qualquer outra, Ana ouviu no notíciario que uma forte chuva se aproximava da cidade.

Naquele dia o sol não apareceu, o mundo ficou cinza, as ruas ficaram calmas, e durante a noite o céu não teve estrelas. No dia seguinte a previsão do tempo se cumpriu, caiu uma chuva tremenda, o sol novamente não apareceu e o cinza se perpetuou no céu.



( CONTINUA)...


imagem by. Google.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Eu de novo.

Eu iria dizer que estou sofrendo de Bloqueio Mental, porem mentiria se o fizesse. Na verdade eu estou sofrendo de Priguissite aguda. Na ultima segunda-feira eu fui na TV cultura, participei da gravação do programa Manos e Minas, curti muito, a atmosfera do lugar me surpreendeu, e durante aquelas poucas horas de gravação eu simplesmente esqueci do mundo.
Estava presente um grupo de samba roque, os caras cantaram até Beatles, foi tudo de bom.

O apresentador Thaide, é uma simpatia envolvido de humildade.


Mudando de assunto quero registrar que eu nunca pensei que fosse tão difícil estudar em casa por conta própria. No fim do mês eu vou prestar concurso publico, e tenho que estudar legislação e fundamentos básicos da língua portuguesa e da matemática. Da mó preguiça, as vezes eu concluo que nem preciso me dar ao trabalho de estudar, mas claro...é mentira.

Eu necessito desenvolver minhas habilidades naquelas diversas formulas e números, preciso decorar, ou melhor, aprender definitivamente aquelas benditas regras gramaticais.

Em conhecimentos gerais sei que me dou bem, então vou procurar focar em português e matemática.


Mudando outra vez de assunto, essa semana eu tive uma nova ideia, para um novo livro.

Chama-se...O Colecionador de Perfumes, é diferente de tudo que já escrevi.

Eu vou indo, mas volto logo.

Abraços.

domingo, 8 de novembro de 2009

Agradecimentos

Olá, confesso que estou muito feliz, pois o blog parece está dando seus primeiros passos.
Recentemente recebi alguns comentários -, claro, eu tenho divulgado um pouco. Porem, um ou dois comentários foram inesperados.
Para quem comentou, meu humilde obrigado, e voltem sempre.
Peço que fiquem à vontade para comentar os erros, pois sei que tenho muitos.
Em breve uma nova postagem.
Abraços.
 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo