domingo, 11 de julho de 2010

Aos meus olhos.


"Nunca temamos nem os ladrões nem os assassinos. Estes são perigos externos, pequenos perigos. Temamos a nós mesmos. Os preconceitos, estes são os ladrões; os vícios, estes são os assassinos. Os grandes perigos estão dentro de nós. Que importa o que ameaça nossa vida ou nossas bolsas?! Preocupemo-nos apenas com o que ameaça nossa alma"




Victor Hugo.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Melhor ouvinte.



Naquela noite em que fui na tua casa, horas antes eu presenciei um por do sol maravilhoso. Ele descia pouco a pouco e tocava o peito do mundo de uma maneira divinal.
Fui ti visitar porque como eu disse, sinto necessidade de ti, mas você parece não saber disso.
Você me disse que cresceu, e é verdade, tens crescido. Espero sinceramente que crescer seja agregar coisas novas, mas principalmente, preservar o que já tínhamos de bom.
Sou prepotente a ponto de me considerar importante para você, e por isso peço que não me esqueça.
Aquela menina um tanto indecisa e rebelde parece ter ido embora.
Vejo sonhos, vejo planos...
Cresce melhor ouvinte, cria asas e voa...mantenha-se sempre com os pés no chão, mas pule um pouco mais alto de vez em quando.
Eu tenho uma irmã e o nome dela é Ester. Irmazinha, perdoe-me se te deixei sozinha e em algum instante.
Eu moro em cada partícula de lembrança e vez ou outra costumo visitar o mundo dos mortais, vem me ver quando quiser.
Sabe maninha, as vezes me pego pensando em um certo domingo, um domingo no qual você virá acompanhada dos meus sobrinhos e do meu cunhado e todos sentaremos ao redor da minha mesa onde eu, feliz da vida, estarei completo.
Mas enquanto esse dia não chega seria bom vivermos o hoje.
Prossiga maninha, voe.
Para a Melhor Ouvinte, Ester.
 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo