sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Ferdinando.

Ferdinando estava quieto. Petrificado!
Dança comigo?
O rapaz não acreditava, não pudera nem mesmo em seus sonhos mais fantásticos imaginar tamanha perfeição, cordialidade e gentileza em uma só pessoa. Era perfeito demais, era bonito demais tudo aquilo. Ele estendeu o braço em sinal de aprovação ao pedido  feito.
-Danço! - respondeu sorrindo e deixando cair uma lágrima minuscula que desceu devagar por sua face e foi contida antes que se desfizesse. Um beijo para conter a dor, um beijo para salientar que coisas fantásticas são reais e podem acontecer a qualquer um. Que mereça, ou simplesmente aos que o destino e a vida tomam como capricho mostrar o extraordinário.
O rapaz beijou o rosto de Ferdinando interrompendo o cair de sua lágrima fujona.
- Esta noite não foi feita para lágrimas menino, sorria, estamos juntos agora!
O céu e as ruas foram gentis aquela noite, lá fora tudo estava silencioso. O mundo dormia enquanto uma odisseia se passava em velocidade quântica dentro de Ferdinando. O céu não tinha estrelas, mas a lua estava entre o emaranhado de nuvens noturnas, majestosa  cena. Michelangelo estava ali, e Deus também.
No meio da sala abraçados, Ferdinando e Marcelo dançavam sem musica ao som imaginário da mais linda sinfonia.
Foi então aquela a primeira dança.

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo