quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Cair e levantar, beijos acima da média, amigos, textos, sexo em inglês e tapas na cara = 2015 :)



Eu deveria escrever aqui em letras garrafais um grande obrigado por um ponto final e pronto.
Isso seria ao meu ver mais que suficiente,  ser grato e simples, direto e reto.
Mas vamos lá, eu escrevi tão pouco este ano que seria falta de educação deixar 2015 ir sem dizer algumas palavras.
Este ano eu conheci uma porção de gente nova, fiz novos amigos, mais que cinco, me despedi deles também, disse adeus, atravessei um oceano, conheci a terra da rainha, falei português de Portugal em Portugal. Fui a um pub e bebi a mesa com gente do mundo todo. Almocei pizza em Londres sentado a mesa com Turcos, franceses, e claro,  italianos.
Este ano troquei de emprego, de casa, voltei pra casa. Beije mais que a média somada de todos os anos que vivi (hahaha). Defendi meus pontos de vista e me ferrei por  isso, mas no fim das contas me dei melhor por faze-lo. Confiei em pessoas que  não devia ter confiado, fui imprudente e neguei minha responsabilidade, tudo isso pra entender agora que sim, sou responsável por tudo que faço e deixo que façam comigo, inclusive por ter chegado onde cheguei e vivido o que vivi. Aprendi a deixar ir e entendi que sim, há males que virão para o bem e só perceberemos isso quase sempre depois, mas tudo bem, o importante é percebamos isso . Essa parte pode ser posta aqui da seguinte forma: A vezes se você não se mexe, vem a vida e te chacoalha por inteiro e te dá dois tapas e graças a Deus que ela faz isso, amém!
Este ano eu ganhei um afilhado, fui padrinho de casamento e fiz 24. Estou feliz pelos dois primeiros e preocupado com o ultimo.
Este ano eu dei um puta beijo em uma esquina de baixo de uma noite estrelada, e mesmo que pareça desnecessário e talvez seja, escrevo isso aqui para não esquecer, porque foi bom e foi gostoso pra caralho. Ah, eu também transei em inglês, só  pra constar. ;) (kkkkkk)
Ai meus Deus, já ia me esquecendo, este ano eu também publiquei meu primeiro texto em revista e aprendi a preparar salmão com molho de maracujá e me senti  foda por isso.


Ahh, e  fui parado pela blits da federal  voltando de Foz, andei de barco, conheci Itaipu e as cataratas. Pisei rapidamente no Uruguai e voltei correndo. Me perdi a meia noite em Paris, perdi também meu avô paterno, ou melhor, não se pode perder o que não se tinha, então dizer que ele faleceu fica mais bem posto. (descanse em paz vô).

Pra 2016? Eu quero ir até onde nunca fui, falar com pessoas que ainda não conheço e ouvir seus achamentos sobre o mundo. Aprender, aprender mais e mais. Saúde e amor, muuuuito amor!



:)






0 comentários:

Postar um comentário


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo