sábado, 31 de dezembro de 2016

Obrigado.

Dois mil e dezesseis me sorriu fartamente, foi gentil e me permitiu realizar sonhos e cumprir quase todas as metas que me dei em seu primeiro mês. Muito embora eu tenha de lamentar muitíssimo pois o mesmo não se repetiu com o meu Brasil e o mundo a fora. Pra muita gente este ano que ta acabando não foi nada bom, seja pela política épica que superou qualquer série de TV, seja pela economia cambaleante e os milhares de empregos perdidos. Seja ainda pela miséria humana que em pleno século 21 fez com que milhares de pessoas na África e no Oriente médio tivessem de deixar suas casas e se arriscar pelos mares, desertos e matas em busca de um lugar seguro para viver e ter o que comer. Tudo isso aconteceu como se o mundo em sua grandeza e biodiversidade não fosse o suficiente para todos nós, para todas as nossas diferenças; religiosas, sexuais, políticas, raciais.
Este ano eu olhei pro céu muitas vezes me perguntando o que estava Deus pensando sobre as coisas que nós estávamos  fazendo do mundo que ele nos deu.

Caminhamos, caminhos muito. Chegamos ao espaço, criamos máquinas fantásticas, conectamos continentes, achamos a cura para diversas doenças, mas não aprendemos, ainda não aprendemos que de nada vale tudo isso se o essencial, o minimo ainda negligenciamos: O respeito as diferenças, o amor ao próximo.

Este ano eu consegui minha bolsa na faculdade, visitei minha avó em Alagoas, cortei açúcar e sal como nunca antes, beijei e amei muito, me coloquei no lugar do outro sobretudo agora no fim, ainda que de uma forma não premeditada.

Eu sou grato a este ano, a vida me sorriu e eu sorri de volta. Na lista pendurada na parede do meu quarto, quase todos os itens estão ticados, faltou conhecer a neve, no Chile e concluir a leitura de três livros, coisa boba, 2017 está ai para cumpri-las todas e adicionar mais algumas que já estou matutando.


Eu agradeço imensamente pelo prazer que foi desfrutar do amor de minha família quando os visitei em Alagoas; tios e tias, primos. Fui arrebatado por algo que não esperava, sentimentos bons.
Agradeço pelo orgulho que senti ao receber a noticia de minha bolsa integral na faculdade.
Agradeço os beijos e abraços que recebi, o emprego que consegui manter e a família que tenho.

Para o novo ano eu me proponho a ajudar mais, fazer mais voluntariados, cuidar mais da saúde, da mente e da alma. Me proponho a ser simples e viver o que é essencial.

Em 2017 torço para que as armas caiam, as crianças comam e possam ir à escola e que as pessoas de todas as partes do mundo somente deixem suas casas se assim o quiserem fazer.


Obrigado.






0 comentários:

Postar um comentário


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo